Noticias no Blog

Cine Curtas UJS Novos Filmes Veja o primeiro minuto do filme 'Lula, o Filho do Brasil'

TV Socialista

Loading...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Veja o primeiro minuto do filme 'Lula, o Filho do Brasil'


O filme é baseado na única biografia oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O livro, homônimo ao filme, foi escrito pela jornalista e historiadora Denise Paraná nos anos 90.


Lula, o Filho do Brasil mostrará a infância miserável de Lula no agreste de Pernambuco, a viagem de 13 dias de sua família para São Paulo num caminhão pau-de-arara, a juventude em Santos e na periferia de São Paulo, as dificuldades enfrentadas como metalúrgico e o início de sua carreira sindical, em 1980.


Com um orçamento recorde para produções nacionais, R$ 16 milhões, o longa-metragem está sendo 100% financiado por empresas privadas e sem leis de incentivo — o que é muito raro no Brasil.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Bloco de Carnaval da Meia Passagem

Neste sábado, dia 28/02, o Bloco da UNE sai mais uma vez para as ruas do Flamengo. Em clima de carnaval, os foliões irão se concentrar às 14 horas na sede da UNE, para de forma irreverente reivindicar a Meia Passagem Universitária para os estudantes cariocas.


Traga sua fantasia e participe desta festa com muita cerveja gelada e diversão!!!


Bloco de Carnaval da Meia Passagem


Data: Sábado, 28/02, concentração às 14 horas.

Local: Sede da UNE - Praia do Flamengo, 132.

Maiores informações em: http://www.meiapassagemja.blogspot.com/

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Universitários cobram promessa do prefeito Eduardo Paes

Os universitários cariocas querem concretizar a implantação da meia passagem para estudantes tanto da rede pública quanto da privada, uma das promessas do prefeito Eduardo Paes, que assinou inclusive um documento de compromisso durante a campanha. Segundo o presidente da União Estadual dos Estudantes (UEE), Daniel Iliescu, só com mobilização irão conseguir o benefício.

"Até agora só conseguimos conversar com a assessoria do prefeito que disse apenas que está estudando como pode ser realizada esta promessa, pois teria que estudar uma forma econômica e tecnicamente possível, mas não deu nenhum prazo", criticou Iliescu que explicou que a própria UEE já tem um documento pronto com estudos sobre formas para implementar a meia passagem feito para ajudar a administração municipal.

O presidente da UEE explicou ainda que custo da passagem é uma das razões de evasão nas universidades, pois muitos alunos não tem condições financeiras que arcar com o alto custo do transporte. O benefício já existe em outras capitais brasileiras como Brasília e São Paulo.

Bloco da Meia Passagem

Para protestar contra a demora do prefeito em resolver a questão, os estudantes organizaram o "Bloco da Meia Passagem", que tem feito muito barulho e chamado a atenção dentro das universidades.

De acordo com Iliescu, no início da tarde desta quarta-feira, cerca de 300 alunos participaram da manifestação realizada na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), no Maracanã. Já os estudantes de Realengo participaram do bloco na Universidade Castelo Branco, nesta terça.

"Só com barulho mesmo e chamando atenção vamos conseguir implantar esta promessa do prefeito, que depois de quase 50 dias de governo, nem nos recebeu ainda. Já conseguimos o apoio de reitores e também de alguns artistas para nossa causa", avisou o presidente da UEE a equipe do SRZD ao final da entrevista.

No sábado de ressaca do carnaval, dia 28 de fevereiro, a concentração do Bloco da Meia Passagem esta marcada para Praia do Flamengo, 132, a sede da União Nacional dos Estudantes (UNE).
Laura Machado Rio+

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Meia Passagem Já


Paralisação da Universidade Castelo Branco, dia 17/01, terça-feira, 10 horas e 17 horas !!todos la!!
Acompanhe aqui a Paralisação

PSUV declara vitória do 'sim' em referendo na Venezuela

O "sim" no referendo para a reeleição na Venezuela registra uma vantagem 'irreversível', segundo pesquisas de boca-de-urna citadas pelo ministro das Finanças e presidente do Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV, no poder), Alí Rodríguez, ao final da votação neste domingo.
"Hoje certamente é um dia de celebração", afirmou Rodríguez em coletiva de imprensa do PSUV.
"Pelo que dizem todas as pesquisas de boca-de-urna, a tendência é irreversível e a resposta que o povo deu é irreversível", afirmou Rodríguez, que pediu que a oposição não dê início a atos de violência e reconheça os resultados.
A presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela, Tibisay Lucena, anunciou às 18h10 locais (19h40 em Brasília) o encerramento do processo eleitoral deste domingo, em que foi votada a aprovação da emenda constitucional que propõe a reeleição ilimitada para cargos públicos eletivos.
Em seu pronunciamento, Tibisay pediu calma e tranquilidade aos grupos que são favoráveis e contrários à medida, reiterando que "não há vencedores ou perdedores" até que os primeiros resultados oficiais sejam divulgados.
"Neste momento, podemos dizer que há somente um ganhador, que é a Venezuela", acrescentou. A funcionária parabenizou a população pela "demonstração de civismo, democracia e grande comportamento" durante o pleito.
No início da tarde, ela havia indicado que os primeiros boletins oficiais só seriam divulgados duas ou três horas depois do fechamento das urnas.
Com a ordem do CNE, os centros de votação em que não há mais eleitores já estão sendo fechados. Onde há filas, porém, as atividades seguem, como mandam as regras eleitorais venezuelanas.
Em novembro, durante as eleições regionais, os atrasos causaram o adiamento do encerramento da votação, o que gerou desconfiança e críticas da oposição, que fez alertas para o risco de manipulações.
Até que saiam os primeiros números oficiais do CNE, está proibida a divulgação de pesquisas de boca-de-urna.
Ao contrário dos últimos dias, marcados por uma forte tensão e polarização entre simpatizantes do presidente Hugo Chávez e setores críticos a seu governo, a votação ocorreu em clima de tranquilidade. Apenas pequenos incidentes foram registrados.
Segundo o chefe do Comando Estratégico Operacional (CEO), o major-general Jesús González, 80 pessoas foram detidas durante o dia após cometerem crimes eleitorais, dentre os quais a danificação de comprovantes de voto, falsidade ideológica e campanha política ilegal.
O referendo foi acompanhado por cerca de 100 observadores internacionais e 1.200 nomeados pelo governo. Para garantir a segurança do processo, o Exército mandou 140 mil oficiais para as ruas.
No início da tarde, após votar em Caracas, o presidente Chávez pediu respeito ao resultado e disse que o referendo de hoje decidirá seu destino político.
"Todos nós devemos respeitar a vontade soberana de nosso povo. Nós reconheceremos os resultados, quaisquer que sejam eles, assim que forem anunciados pelo CNE", afirmou.
Se a emenda constitucional for aprovada, o mandatário, no poder há 10 anos, poderá tentar o terceiro mandato em 2012. Durante a campanha, em reiteradas vezes ele afirmou que precisa de mais tempo para levar adiante seu projeto bolivariano, cujo objetivo é introduzir na Venezuela o chamado "socialismo do século 21".
A oposição, porém, acusa-o de querer se perpetuar no poder. Além disso, alega que uma medida similar à que foi votada hoje já foi reprovada pelo povo venezuelano em dezembro de 2007. Naquela ocasião, um projeto de reforma constitucional apresentado pelo governo foi rejeitado com 50,7% dos votos.
Para Chávez, o referendo de hoje integra um processo que engloba também o Equador e a Bolívia, países que recentemente aprovaram novas constituições e cujos presidentes, Rafael Correa e Evo Morales, são seus principais aliados na América do Sul.
Segundo ele, a votação "é parte de uma nova doutrina constituinte que está nascendo na América Latina, e que tem o processo venezuelano como vanguarda".

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Essa Reforma Política é casuísmo!

O Executivo enviou ao Congresso Nacional, esta semana, um projeto de Reforma Política pelas mãos do Ministro da Justiça, Tarso Genro, e de José Múcio, da Secretaria de Relações Institucionais.
Para ''facilitar a aprovação'', segundo as palavras de Múcio, o governo optou por fatiar o projeto em cinco Projetos de Lei (PLs) e uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) separando os itens da proposta ''para que cada partido possa examiná-los sem que uma idéia atrapalhe a outra''.
São seis os Projetos de Lei: a substituição, nas eleições proporcionais, do modelo de lista aberta pelo de lista fechada; o financiamento público das campanhas eleitorais; a inelegibilidade, por três anos, das pessoas que forem condenadas por crimes como os de abuso do poder econômico e político, contra a economia popular e contra a administração pública; a fidelidade partidária, pela qual o mandato parlamentar pertence à sigla, e não ao candidato eleito; e a proibição de coligações para as eleições proporcionais e a tipificação criminal da ''captação ilícita de sufrágio'' (em que o candidato ameaça ou constrange alguém para obter seu voto ou atrapalhar a campanha de um candidato adversário). Algumas destas proporições são inconstitucionais, como por exemplo a PEC que trata do fim das coligações proporcionais.
Já o Projeto de Emenda Constitucional visa implementar uma Cláusula de Barreira às legendas que não obtiverem 1% dos votos válidos nas eleições para a Câmara dos Deputados, distribuídos em, pelo menos, um terço dos estados (com o mínimo de 0,5% dos votos em cada estado). O Ministro Tarso Genro procurou adiantar que esta proposta ''será uma cláusula que respeitará o direito dos partidos minoritários''. Na verdade, não se trata de uma cláusula de desempenho, mas sim uma cláusula que impede a posse do deputado eleito cujo partido não obtiver os índices constantes do projeto, e que posteriormente poderão ser aumentados...
A primeira questão que se deve colocar é que esta matéria não é própria do Executivo, mas é essencialmente um tema do Legislativo, que, por sinal já tem em tramitação na Câmara mais de 70 projetos de lei sobre a mesma temática. Por que não dar prioridade aos projetos do Legislativo?
Mais grave ainda, o Governo envia ao Congresso uma reforma fatiada, desconsiderando a necessidade de se conceber uma reforma política de caráter sistêmico, em que cada item da lei esteja em consonância com o outro e que amplie a democracia e não a restrinja.
Concretamente transparece na iniciativa do Executivo a intenção de votar apenas um ou outro item do projeto, que seja mais consensual entre os assim chamados grandes partidos. Como disse o presidente nacional do Partido Comunista do Brasil, Renato Rabelo, na primeira reunião da bancada comunista dirigida pelo novo líder, o deputado Daniel Almeida, essa forma fatiada de Reforma é ''um casuísmo das maiores legendas às vésperas das eleições de 2010, uma verdadeira manobra com o objetivo de reduzir os direitos dos partidos menores, alijando do cenário político nacional correntes do pensamento político brasileiro com respaldo no movimento social do país''.

Jandira anuncia novos diretores de teatro e lançamento de Selo da Música

A secretária de Cultura do Rio, Jandira Feghali, anunciou no dia 13 novas diretrizes no que diz respeito à gestão dos centros culturais municipais no Rio. Jandira definiu que cada unidade terá um perfil de acordo com o que considera "vocação natural do espaço".
Assim, o Centro de Arte Hélio Oiticica, por exemplo, se dedicará às artes visuais, o Castelinho do Flamengo abrigará exposições de fotografia e o Teatro do Jockey será reconfigurado em Centro de Referência do Teatro Infantil.
“Dessa forma pretendo dar visibilidade à cidade através da cultura”, disse a secretária. “Estou convicta de que não teriam melhores nomes para ocupar os cargos”.
Os novos gestores são: Carmem Luz (Centro Coreográfico da Cidade, dedicado ao movimento corporal); Cláudio Jorge (Centro de Referência da Música Carioca, que ganha perfil mais adequado ao próprio nome); Nádia Medella (Centro Cultural Laurinda Santos Lobo, funcionará como escola de artes para as comunidades de Santa Teresa); Neia Daniel (Centro Cultural José Bonifácio, destinado aos estudos da cultura afro-brasileira); Victor de Wolf (Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho - Castelinho do Flamengo, para exposição e catalogação de acervos fotográficos); Karen Acioly (Teatro do Jockey, que vira pólo de pensamento das áreas artísticas para o público infantil); Dennis Hanso (Parque das Ruínas, com programação versátil); Thaíssa Pontes (Centro Cultural Professora Dyla de Sá, com programação compartilhada com o Parque das Ruínas); e o ator Antonio Pedro (Centro de Artes Calouste Gulbenkian, como um espaço de formação de formadores culturais).
Selo de música
Jandira aproveitou a ocasião para anunciar a criação do Selo da Música do Rio, vinculado ao Centro de Referência da Música Carioca e que pretende lançar artistas da cidade. De olho na iniciativa semelhante adotada anos atrás pela prefeitura de Niterói, com o selo Niterói Discos, Cláudio Jorge, que é músico, pretende reparar as falhas observadas na cidade vizinha.
“O que matou a proposta lá é que não houve distribuição”, apontou. “O artista ganhava os discos e saía com eles debaixo do braço. Tem que haver um acompanhamento para não jogar dinheiro fora”.
O único que abordou uma série de planos sobre sua gestão foi Antonio Pedro. “Quero criar o Distrito Cultural da Praça Onze, onde serei o delegado, mas sem carceragem”, brincou. “Vou implementar um processo de vitalização da área. Além do Centro Calouste, ali tem o Sambódromo, a Fundação Darcy Ribeiro, dá para agitar muita coisa. As pessoas pensam em obras, mas não é a única opção. Vamos pegar aquele lugar aberto e botar gente dentro. Basta iluminar e propor um chamariz, que pode começar com uma roda de samba”.
A secretária ainda confirmou a criação da Casa do Hip Hop, na Lapa, e anunciou a criação do Centro de Referência da Capoeira, na Penha, e de um Centro de Referência do Choro, da Casa do Samba e da Casa da Bossa Nova, estes ainda sem local definido.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

UERJ abre inscrições para oficinas de férias 2009

Com inscrições abertas até 2 de março, a Coordenadoria de Artes e Oficinas de Criação (COART) do Departamento Cultural (DECULT) da Sub-Reitoria de Extensão e Cultura (SR-3) da UERJ oferece à comunidade interna, sem nenhum custo, cursos com renomados professores e artistas de vários meios de expressão no Centro Cultural. Pessoas interessadas em cursar as oficinas e que não tenham vínculo formal com a UERJ poderão se inscrever pagando uma taxa única.

Os interessados nas tradições populares do país, com especial enfoque para o trabalho pedagógico com crianças, poderão se inscrever na oficina “Cantar e Contar Histórias” com Bia Bedran. Reconhecida nacionalmente pela sua contribuição para o teatro musical infanto-juvenil, Bia ensina os participantes a arte de transmitir valores da cultura brasileira por meio da tradição oral.

Aqueles com habilidades ou aspirações musicais poderão se inscrever nas oficinas de Teoria e Percepção Musical, com o maestro da UERJazz Band, Isaías Ferreira; Teclado, com Bianca Malafaia, Musikfabrik, uma oficina de fabricação de instrumentos musicais com material inusitado com Antônio Espírito Santo e nas diferentes modalidades de Canto Coral coordenadas pelo regente Mário Assef. Há oportunidades também para professores, servidores e funcionários que tenham interesse em teatro. Eles poderão se inscrever nas oficinas ministradas pelo ator Antônio Pitanga.

Já no campo das Artes Visuais, um dos mais respeitados xilógrafos brasileiros ensina sua arte com temas inspirados na literatura de cordel. Marcelo Soares, artista brasileiro premiado na França, mudou-se de Pernambuco para o Rio especialmente para difundir a xilogravura por meio do Programa Artista Visitante da UERJ.
O Curso tem um custo...

Leia mais...

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Baile de Carnaval "O Samba UNE"

Comemorando os 2 anos de retomada da sede dos estudantes
Neste sábado, dia 14/02, a partir das 14 horas a União Estadual dos Estudantes (UEE-RJ) realizará a primeira plenária com o conjunto do Movimento Estudantil do Rio de Janeiro com vistas à campanha da Meia Passagem Universitária. No mesmo dia, a partir das 17 horas, se iniciará nosso Baile de Carnaval!!! Estão todos convidados. Tragam suas famílias, amigos, namoradas, namorados!!!

Distribuição gratuita de adereços, confetes e serpentinas...
*projeção de imagens e filmes de carnavais antológicos*

Entrada franca, cerveja gelada e diversão garantida!

Dia 14/02 - sábado das 17 às 22h
Av. Praia do Flamengo, 132.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Fidel Castro: Contradições entre política de Obama e ética

O líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, reiterou seus questionamentos ao sistema político americano, como negação de todo princípio justo e formulou várias perguntas ao presidente Barack Obama.
Em um artigo intitulado "As Contradições entre a política de Obama e a Ética", Fidel questiona a disposição do presidente americano a renunciar a prerrogativas como a faculdade de ordenar o assassinato de um adversário político estrangeiro, que tem sido sempre apontada contra mandatários de países subdesenvolvidos.
Também indaga sobre o conhecimento de Obama sobre ações contra Cuba das sucessivas administrações americanas, inclusive a invasão mercenária da Praia Girón (Baía dos Porcos), campanhas de terror, introdução abundante de armas e explosivos, entre outras parecidas.
O líder cubano pergunta se Obama sabe que a ilha, durante décadas inteiras, foi vítima da introdução de vírus e bactérias portadoras de enfermidades e pragas, que afetaram pessoas, animais e plantas, assim como da aplicação da Lei de Ajuste Cubano e o criminoso bloqueio que já perdura por meio século.
Leia abaixo a íntegra do artigo, publicado na última quarta-feira pelo site Cubadebate.
Assinalei há vários dias algumas idéias de Obama, que indicam o seu rol dentro de um sistema que é a negação de todo princípio justo.
Há alguns que se rasgam as vestiduras se for exprimida qualquer opinião crítica sobre a importante personagem ainda que se faça com decência e respeito. Isto vai acompanhado sempre de sutis e não sutis dardos daqueles que possuem as mídias para divulgá-los e os transformam em componentes do terror mediático que impõem aos povos para manter o insustentável.
Qualquer crítica minha é qualificada sem exceção de arremetida, acusação e outros substantivos similares, que refletem desconsideração e descortesia com a pessoa à qual vão dirigidas.
É preciso nesta ocasião fazer algumas perguntas que o novo presidente dos Estados Unidos deveria responder, entre as muitas que podem formular-se.
Por exemplo, as seguintes:
Renuncia ou não à prerrogativa como Presidente dos Estados Unidos, dos que com muitas poucas exceções exerceram pelo mesmo cargo, como um direito "per si", a faculdade de ordenar o assassinato de um adversário político estrangeiro que quase sempre é o de um país subdesenvolvido?
Por acaso algum dos seus variados colaboradores lhe tem informado alguma vez das tenebrosas ações que os presidentes, desde Eisenhower e os que o substituíram, levaram a cabo durante os anos 1960, 61, 62, 63, 64, 65, 66 e 67 contra Cuba, incluída a invasão mercenária de Girón, campanhas de terror, introdução de abundantes armas e explosivos no nosso território e outras ações parecidas?
Não pretendo culpar o Presidente atual dos Estados Unidos Barack Obama, por fatos que os seus antecessores presidenciais levaram a cabo quando ele não havia nascido ou era apenas uma criança de 6 anos nascida no Havaí, de pai queniano, muçulmano e negro e mãe americana, branca e cristã. Isso, pelo contrário, constitui na sociedade dos Estados Unidos, um mérito excepcional, que sou o primeiro em reconhecê-lo.
Conhece o Presidente Obama que o nosso país, durante décadas completas foi vítima da introdução de vírus e bactérias portadoras de doenças e pragas que afetavam pessoas, animais e plantas, algumas das quais, como o Dengue Hemorrágico, se tornaram posteriormente em flagelos que custaram a vida a milhares de crianças na América Latina e também pragas que afetam a economia dos povos das Caraíbas e o resto do continente, com prejuízos colaterais que não tem podido ser eliminados?
Conhecia que nestas ações de terror e prejuízo econômico participaram vários países politicamente subordinados, da América Latina, hoje envergonhados com o dano que fizeram?
Por quê se impõe ao nosso povo, único caso no mundo, uma desorganizada Lei de Ajuste Cubano que engendra o tráfico humano e fatos que já custaram a vida de pessoas, fundamentalmente mulheres e crianças?
Era justo aplicar ao nosso povo um bloqueio econômico que tem durado quase 50 anos?
Era correta a arbitrariedade de exigir ao mundo o carácter extraterritorial desse bloqueio econômico que apenas pode gerar fome e escassez a qualquer povo?
Os Estados Unidos não podem satisfazer as suas necessidades vitais sem a extração de enormes recursos minerais de grande número de países que se vêem limitados à exportação dos mesmos em muitos casos sem processos intermediários de refinação, actividade que em geral, é conveniente para os interesses do império, são comercializados por grandes empresas transnacionais de capitais ianques.
Renunciará esse país a tais privilégios?
É por acaso compatível tal medida com o sistema capitalista desenvolvido?
Quando o senhor Obama promete investir consideráveis somas para auto-abastecer-se de petróleo, apesar de constituir hoje o maior mercado do mundo, que farão aqueles cujas receitas fundamentais provêm da exportação dessa energia, muitos deles sem outra fonte importante de receitas?
Quando a concorrência e a luta pelos mercados e fontes de empregos volte a desencadear-se depois de cada crise entre os que melhor e mais eficientemente monopolizem as tecnologias com sofisticados meios de produção, que possibilidades restam para os países não desenvolvidos que sonham com industrializar-se?
Por eficientes que sejam os novos veículos que a indústria automotriz alcance, serão por acaso esses procedimentos os que a ecologia demanda para proteger à Humanidade da deterioração crescente do clima?
Poderá a filosofia cega do mercado substituir o que apenas a racionalidade poderia promover?
Obama promete imprimir quantidades enormes de dinheiro na procura de tecnologias que multipliquem a produção energética, sem a qual as sociedades modernas se paralisam.
Entre as fontes de energias que promete desenvolver rapidamente inclui as centrais nucleares que já têm um número elevado de oponentes, pelos grandes riscos de acidentes com efeitos desastrosos para a vida, a atmosfera e a alimentação humana. É absolutamente impossível garantir que alguns de tais acidentes não aconteçam.
Sem necessidade alguma desses desastres acidentais a indústria moderna tem contaminado com as suas emanações tóxicas a todos os mares do planeta.
É correto prometer a conciliação de tão contraditórios e antagônicos interesses sem transgredir a ética?
Para comprazer aos sindicatos que o apoiaram na campanha, a Câmara de Representantes dos Estados Unidos, dominada pelos democratas, lançou a palavra de ordem "compre produtos estadunidenses", extremamente protecionista, que viola um princípio fundamental da Organização Mundial do Comércio, já que todas as nações do mundo, grandes ou pequenas, baseiam os seus sonhos de desenvolvimento no intercâmbio de bens e serviços, para o qual, contudo, apenas as mais grandes e de rica natureza têm o privilégio de sobreviver.
Os republicanos nos Estados Unidos, golpeados pelo descrédito o qual os levou ao disparatado governo de Bush, nem lentos nem preguiçosos tem encarado as complacências de Obama com os seus aliados sindicais. Desta maneira se esbanja o crédito que os votantes outorgaram ao novo Presidente dos Estados Unidos.
Como velho político e lutador, não cometo nenhum pecado ao expor modestamente estas idéias.
Poderiam formular-se todos os dias perguntas sem fáceis respostas a medida que são publicadas centenas de notícias provenientes das esferas políticas, científicas e tecnológicas que chegam a qualquer país.

Fidel Castro Ruz, Havana, 4 de fevereiro de 2009, 17h14

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Lula inaugura obras no Dona Marta

Nesta terça-feira (3), às 12h30, o presidente Lula, o ministro das Cidades, Márcio Fortes, e o governador Sérgio Cabral, assinam convênio para construção de 64 unidades habitacionais e melhoria em outras 265, no Morro Dona Marta, em Botafogo, Zona Sul do Rio.
Os recursos, no valor de R$ 7.019.115,40, são do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS). Somado ao valor destinado como contrapartida pelo Estado do Rio, que é de R$ 1.754.778,85, o projeto contará com o total de R$ 8.773.894,25.
O presidente Lula também entregará 11 chaves de novas moradias a famílias já contempladas. O programa de reurbanização do Morro Dona Marta vem sendo executado pelo governo do Estado com recursos de aproximadamente R$ 60 milhões.
Numa primeira etapa, até 2008, foi finalizado e entregue à população o plano inclinado (cinco estações); adaptada a creche no alto do morro para policiamento comunitário; reformada a outra creche existente; concluído o campo de futebol com grama sintética; implementadas redes de esgoto, água potável e drenagem; construídas 65 unidades habitacionais; feitas melhorias em 146 residências e realizada adaptação para Internet comunitária.
Em 2009, serão construídas mais 191 unidades; realizadas melhorias em 517 residências; edificado muro (eco-limite) para delimitar e conter a expansão da comunidade, protegendo a mata adjacente; reconstruídas parcialmente mais 46 unidades habitacionais e realizadas melhorias urbanísticas de acesso.
Colégio do PAC
Na parte da manhã, Lula participará da inauguração do Colégio Estadual Compositor Luiz Carlos da Vila, primeira obra do PAC no Rio, na Avenida Dom Helder Câmara, 1.184, em Manguinhos.
A escola funcionará, a princípio, com a primeira série do Ensino Médio e abrirá novas turmas tão logo apareçam alunos de outras séries. Além das 14 salas de aula, ainda estará à disposição dos estudantes um laboratório de Ciências, um laboratório de Informática e um auditório que servirá também para eventos da comunidade.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

MEC suspende vestibular de três cursos de medicina do Rio

O Ministério da Educação anunciou, no dia 29, três medidas cautelares para sanear cursos de medicina que apresentaram condições insatisfatórias. As medidas anunciadas afetam os cursos da Universidade Severino Sombra, em Vassouras, o Centro de Ensino Superior de Valença e a Universidade Iguaçu (Unig).
A Universidade Severino Sombra e o Centro de Ensino Superior de Valença estão proibidos de realizar qualquer tipo de processo para o ingresso de novos alunos. Se as instituições não regularizarem as pendências até junho desse ano, poderão ter os cursos descredenciados e não poderão mais funcionar.
A Universidade Iguaçu já havia sido notificada pelo MEC em dezembro de 2008, porém não atendeu ao pedido de suspensão de ingresso de alunos e realizou vestibular. Com uma medida cautelar, os alunos que passaram nas provas estão impedidos de iniciarem o ano letivo.
O ministro da Educação, Fernando Haddad, descartou a hipótese de prejuízo aos alunos universitários. “O que o estudante precisa entender é que procuramos preservar o seu direito. Ao negar o seu ingresso em uma instituição que está mal estruturada, nós estamos preservando o seu direito de educação”, disse Haddad.
A Secretaria de Educação Superior (Sesu) do MEC organizou uma comissão em agosto de 2008, chefiada pelo médico Adib Jatene, para uma avaliação dos 17 cursos de medicina que tiveram notas insatisfatórias no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Segundo o ministro Haddad, a maior deficiência das universidades é a falta de estrutura para o exercício prático da medicina.
O MEC deu prazo até 30 de junho para que as três instituições resolvam insuficiências detectadas por uma comissão de especialistas.

Sarney é eleito presidente do Senado

Pela terceira vez, José Sarney (PMDB-AP) volta a presidir o Senado desta vez no biênio 2009 /2010, os dois últimos anos de mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele venceu Tião Viana (PT-AC) por 49 votos a 32 numa votação que prometia ser mais acirrada.
Na véspera da eleição, os dois candidatos cantaram vitória. Tião Viana apostava que venceria a disputa com 43 votos, dois a mais do que o necessário, 41. Por outro lado, os apoiadores de Sarney contabilizaram como certos 55 votos. Pelas contas, houve quem prometeu votar nos dois candidatos.
Ao assumir a presidência, Sarney prometeu independência e autonomia do Senado em relação ao executivo. Elogiou o trabalho do seu antecessor Garibaldi Alves (PMDB-RN) e disse que “a paixão da vida pública é maior que a paixão da própria vida”.
Tião Viana, candidato derrotado, agradeceu e disse ter ficado honrado com os 32 votos . “ Tenho muito respeito pelos votos dados ao presidente eleito Sarney. Quero desejar pleno êxito ao senador Sarney”, disse.
Como o governo teoricamente não apoiou nenhum candidato, não saiu do processo com a imagem de derrotado. Além de apoiar o governo, Sarney já declarou abertamente sua preferência pela ministra Dilma Rousseff para suceder Lula.
A expectativa agora é aguardar para ver até que ponto esse resultado vai contaminar a eleição na Câmara onde Michel Temer (PMDB-SP) é favorito na disputa contra Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e Ciro Nogueira (PP-PI). Aldo e Ciro apostam nos votos daqueles que não concordam com o acúmulo de poder não mão do PMDB.