Noticias no Blog

Cine Curtas UJS Novos Filmes Veja o primeiro minuto do filme 'Lula, o Filho do Brasil'

TV Socialista

Loading...

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Grito de Carnaval da UJS-RJ


Festa de Reinauguração da sede da UJS
Data: 31/01/09 20h00min
Endereço: Rua Gomes Freire 610 - Sobrado. Lapa
Todos Lá...

Bienal da UNE

A abertura da bienal foi sensacional, uma maravilha, nosso palhaço (Emerson) e o PV (Mesquita), bombaram e emocionaram a galera com uma apresentação de circo e malabaris. O Tá na rua também fez uma apresentação impecável com várias intervenções culturais. A Abertura foi às 20h no TCA (teatro Castro Alves) que por sinal é lindo! Depois das apresentações rolou um filme em homenagem a Honestino Guimarães. Na mesa estavam presentes o Governador na Bahia Jaques Wagner, Lucia, Jeferson (presidente da UEB), Aldo Arantes, representante do ministério da justiça e outros. Depois teve um trio que fez o circuito do carnaval (Dodô e Osmar) com Armandinho e sua guitarra elétrica.Depois, em passeata para o Pelourinho, ver os shows de O Quadro (Banda local) e Cordel do Fogo Encantado, que foi sem dúvidas um dos melhores shows deles!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

VI Bienal de Cultura da UNE

Amanhã começa a 6ª Bienal de Cultura da UNE, entre os dias 20 a 25, a região do Passeio Público, em Salvador será palco de uma verdadeira ocupação cultural. Serão cinco dias intensos de troca de experiências, traduzidos em debates com intelectuais e especialistas de diversas áreas, oficinas, mini-cursos, exibições de cinema, apresentações de teatro, shows e demais atividades que promoverão a reflexão sobre a temática desta edição.


Acompanhe aqui no Blog da UJS o que ta rolando lá!!!

domingo, 11 de janeiro de 2009

Jandira Feghali Convida !!!

A Secretaria Municipal de Cultura, Jandira Feghali, Convida Para a apresentação da nova equipe e suas diretrizes iniciais para o trabalho na cultura carioca.
Dia: 13 de janeiro de 2009, às 11h
Local: Teatro Municipal Carlos Gomes – Praça Tiradentes, S/nº
Apresentação obrigatória. Favor imprimir

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

“NEM SÓ DE PÃO VIVE O HOMEM”

Por Rodrigo Ribeiro
Justifico esse artigo devido a minha leitura do artigo de Juliana Cunha “Capitu não presta (eu já sabia Bial)”, colega baiana e ex-companheira de militância do movimento estudantil secundarista( há alguns anos atrás) no qual tenho um profundo respeito. E também a leitura do artigo do camarada Geovane Barone “Capitu, o quadrante e a busca de uma nova linguagem para TV brasileira”, meu grande amigo e camarada que sempre tive grandes conversas acerca da cultura e arte contemporânea.
Primeiro gostaria de justificar o título, que parece meio bíblico, mas que foi de inspiração de uma frase de Onélio Cardozo, contista cubano, que diz: “O ser humano tem duas grandes fomes: a de pão e a de beleza; a primeira é saciável, a segunda infindável.”
Gostaria de colocar que discordo da visão de Juliana Cunha sobre a minissérie e compactuo com o artigo de Geovane Barone (mas acho que vai além da discussão sobre a “estética”) e de uma forma modesta venho aqui colocar as minhas análises sobre a minissérie e mais do que isso, transportar essa análise sobre a cultura pós-moderna nas artes.Sem é claro, colocar a “pós-modernidade” enquanto concepção ideológica ou como termo depreciativo, mas como o desmembramento da modernidade enquanto flexibilização e compressão do espaço-tempo das relações em diversos segmentos da sociedade contemporânea, o destaque aqui vai para a arte.
A lógica da frase “nem só de pão vive o homem” poderia ser a mesma de “nem só do tradicional vivem as artes” ou então, “nem só da ortodoxia vive a teoria”. Há uma peça de teatro, apresentada na Hungria ainda durante o período socialista, que narra à história de um casal que briga muito. De repente, o marido rompe o diálogo com a esposa e diz que não agüenta mais, porque tem muito trabalho no partido, no Estado. A mulher, então, vai à praça da cidade e começa a dialogar com a estátua de Marx; e fica muito brava, porque Marx não apresenta respostas para ela. É como se ela dissesse: “Não encontrei no marxismo determinadas respostas para questões minhas muito sérias”. São as questões de relações de gênero, sexualidade, religiosidade, cultura, artes, entre outras.
Os relatos das produções pós-modernas tomam duas formas, identificadas, respectivamente, com as hipóteses “transgressiva” e “incorporativa”. A primeira forma visa identificar e promover possibilidades progressistas nos textos, nas peças e na dramaturgia. Essa abordagem é demonstrada por John Wyver em seu artigo “Television and Postmodernism”.
A ascendência inquestionável da imagem sobre a palavra é desafiada quando imagens e argumentos são usados uns contra os outros para abrir questões. As “colagens” altamente estruturadas centradas em torno de um tema ou objeto, cuja mistura de formas e estratégias é considerada por Wyver uma resistência a forma dominante, no qual o acolhimento de mundos de fantasia não-realistas equivale a “uma plena libertação do significante”.
Rodrigo Ribeiro – estudante de Ciências Sociais da UFF

RJ: Jandira Feghali assume Cultura e anuncia planos

Jandira Feghali (PCdoB) foi empossada nesta quinta-feira (1/1) como a nova secretária municipal de Cultura, com uns 15 decretos para tirar da manga. O primeiro, já anunciado, é retirar o plural do nome da secretaria, que desde a gestão de Artur da Távola, em 2001, era das Culturas. Os outros passam por uma revisão da lei de incentivo fiscal do ISS, pelo aumento de dois para quatro no número de subsecretarias, e por uma tentativa de ampliação do orçamento da pasta, que hoje tem mais da metade dos recursos aplicados em ações de turismo, que seriam área da Riotur, segundo Jandira.A ex-deputada também já sabe os nomes de quase todo o seu quadro de apoio. Entre eles estão aliados políticos de longa data, como Mario Del Rei e Celso Cunha.A nova Secretaria municipal da Cultura terá quatro subsecretarias: de Gestão; de Democratização e Difusão Cultural; de Integração e Projetos Especiais; e de Patrimônio, Intervenção Urbana, Arquitetura e Design. Também haverá uma Gerência de Museus e uma Assessoria de Relações Internacionais.Ela já esboçou também alguns projetos que pretende enviar à Câmara de Vereadores no primeiro semestre."Vamos mandar para votação um projeto de lei que cria o Fundo Municipal de Cultura. Além disso, quero revisar o projeto de lei que foi aprovado na Câmara criando o Conselho Municipal de Cultura. Ele foi aprovado com uma série de erros sobre o papel e as funções do conselho", acrescenta a nova secretária, que, ex-baterista e com um irmão que é músico do grupo Roupa Nova, já anunciou também seu desejo de criar um selo municipal que dê incentivos fiscais a casas noturnas que contratem música ao vivo.Outro plano é fazer com que a secretaria participe dos projetos de revitalização da região do Porto e também do gabinete de gestão integrada de segurança do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), do governo federal.